Concurso Banco do Brasil: 400 vagas para diversos cargos, com salário de até R$13 mil; Veja o Edital

Concurso Banco do Brasil: 400 vagas para diversos cargos, com salário de até R$13 mil; Veja o Edital

Concurso Banco do Brasil 2020: edital segue aguardado com vagas de nível médio para Escriturário e também área de Tecnologia da Informação.

Se você está estudando para o concurso Banco do Brasil 2020 é importante continuar, isso porque falta pouco tempo para ser aberto um novo edital, dessa vez somente para a área de TI.

O edital para a carreira tecnológica será um feito inédito e daria ao banco todo o suporte necessário para a sua inclusão no disputado mercado das instituições financeiras digitais (fintechs e big techs).

Mesmo antes da pandemia (que aumentou significativamente a necessidade de serviço no modo home office ou teletrabalho), o Banco do Brasil já tinha pretensão de estruturar uma carreira específica em TI.

Os concursos públicos para esse setor específico poderão ser anuais, a fim de captar os melhores profissionais em cada período.

Além disso, prossegue a expectativa de que o edital para Escriturário venha a ser lançado em breve. Porém, ainda não há uma data para isso acontecer.

Quando terá o concurso Banco do Brasil 2020 para área de TI?

O edital do próximo concurso Banco no Brasil para a área tecnológica está previsto para ser divulgado até setembro de 2020. O Estadão/Broadcast ainda apurou que serão 120 vagas.

Nosso jornalista, Bruno Destéfano, entrou em contato com a Diretoria de Comunicação do Banco do Brasil para obter detalhes sobre a possibilidade de algum edital ser lançado em setembro. No entanto, a única resposta a respeito foi a que se segue:

Entre as formações com possível demanda de vagas estão: inteligência artificial, desenvolvimento de software e aplicativos, analytics e várias outras.

A prova será totalmente diferenciada para esse público profissional. O conteúdo será essencialmente tecnológico, ou seja, os jovens talentos terão mesmo que comprovar o domínio de sua área de competência!

Os futuros concursados terão salário inicial de R$ 3,8 mil mensais, valor que pode até dobrar como forma de incentivo. Após a contratação, esses novos servidores passarão por uma imersão tecnológica nas dependências do Banco do Brasil.

Nessa imersão, esses profissionais serão monitorados bem de perto pelos seus executivos. Isso contribuirá para que a capacitação dos contratados seja efetiva.

O Banco também já trabalha para valorizar seus talentos internos, promovendo uma ação online que vai estimular os funcionários dispostos a avançar em suas carreiras.

Situação atual do concurso Banco do Brasil 2020 (Escriturário)

Embora não signifique concurso público iminente, foi publicada em 2020 mais uma portaria que fixa o quantitativo de funcionários do Banco do Brasil para o ano. Com relação ao ano anterior (2019), houve queda no limite do quadro funcional.

De acordo com a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST), o quantitativo máximo para o quadro de funcionários do BB agora é de 102.681 funcionários. Veja detalhes sobre a portaria e entenda o que significa esse total.

Não custa lembrar que em 2019, o Banco do Brasil incentivou o desligamento de funcionários, com o objetivo de “regularizar vagas e excessos em dependências e praças”.

Oficialmente, o banco nega que exista concurso para ser lançado. O Concursos no Brasil entrou em contato com a assessoria de imprensa do Banco do Brasil para saber mais a respeito do lançamento do edital e eles afirmaram não haver previsão de novo concurso.

Apesar da negativa da assessoria, é sempre bom lembrar que, historicamente, já houve lançamentos de editais de forma inesperada (quando não havia, necessariamente, a previsão anunciada).

Sendo assim, recomenda-se a quem estiver estudando que continue a se dedicar e, quem ainda não começou, que tome providências para não ser pego de surpresa.

O futuro edital para Escriturário possivelmente deverá contemplar a maior parte das unidades da federação (nível nacional). Havia uma previsão inicial de que o novo edital do concurso Banco do Brasil fosse lançado em março de 2020, o que não ocorreu. Por conta dos últimos acontecimentos envolvendo a pandemia do novo coronavírus, acredita-se que a instituição deva revisar seu cronograma.

Também não foi divulgada ainda a empresa organizadora contratada. A Fundação Cesgranrio continua sendo bastante cotada.

Outra novidade relacionada ao concurso Banco do Brasil é que o BB Tecnologia e Serviços – BBTS fixou o limite de vagas em 3.205 pela Portaria nº 15.964, de 6 de julho de 2020. A informação foi divulgada no Diário Oficial da União de 8 de julho de 2020.

Concurso Banco do Brasil 2020: cargos e vagas

Como já havíamos anunciado em janeiro de 2020, não é apenas o cargo de Escriturário que será oferecido quando os novos editais do concurso Banco do Brasil que forem lançados. O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, já havia anunciado que o Banco tem pretensão de contratar profissionais de tecnologia.

De acordo com o presidente, a maneira que os trabalhadores entram para a empresa, por meio de concurso para Escriturário, precisa ser mais abrangente e incluir requisitos mais direcionados. No caso, ele citou justamente a área de tecnologia e inovação.

Naquele momento, o Concursos no Brasil entrou em contato com a assessoria do banco para conseguir informações a respeito das declarações do presidente do BB, mas a assessoria preferiu não comentar, resignando-se a informar que não havia concursos planejados para o momento.

Qual o salário de um funcionário do Banco do Brasil?

Tomando por referência o edital do concurso Banco do Brasil de 2018, a remuneração inicial foi de R$ 2.718,73, pelo regime da CLT, cumprindo 30 horas semanais.

Hoje (2020), essa remuneração pode ser de aproximadamente R$ 4.036,56. Mas é fato que a carteira de benefícios para os empregados do BB não se restringe ao vencimento básico.

Os funcionários já entram com acesso às seguintes vantagens:

  • Possibilidade de ascensão e desenvolvimento profissional;
  • Participação nos lucros ou resultados;
  • Vale-transporte;
  • Auxílio-creche;
  • Ajuda alimentação/refeição;
  • Auxílio a filho com deficiência;
  • Previdência privada.

Concurso Banco do Brasil: requisitos para o cargo de Escriturário

O cargo de Escriturário é a porta de entrada para o quadro do Banco do Banco do Brasil. A exigência mínima de escolaridade é o ensino médio completo.

Essa escolaridade pode ser comprovada pela apresentação de certificado de conclusão ou diploma devidamente reconhecido pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.

Além disso, é necessário ter:

  • Nacionalidade brasileira ou portuguesa (nesse caso, estar amparado pela legislação);
  • Regularidade com a Justiça Eleitoral e regularidade com o serviço militar obrigatório (se for do sexo masculino);
  • Idade mínima de 18 anos e aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo.

Por último, o interessado em ocupar o cargo de Escriturário também não pode exercer qualquer atividade remunerada em órgãos ou empresas públicas, nem receber proventos de aposentadoria (a não ser nos casos previstos em lei).

Concurso Banco do Brasil: atribuições dos cargos

Os Escriturários do Banco do Brasil desempenham atividades como: comercialização de produtos e serviços do Banco; atendimento ao público; quando necessário, atuação no caixa e contatos com clientes.

Esses funcionários também prestam informações aos clientes e usuários; elaboram a redação de correspondências em geral; fazem conferência de relatórios e documentos; exercem os controles estatísticos;

Por fim, ainda fazem a atualização/manutenção de dados em sistemas operacionais informatizados e executam outras tarefas inerentes ao cargo.

Como são as provas do concurso Banco do Brasil?

Os candidatos inscritos em cada concurso do Banco do Brasil são selecionados por meio de:

  • Prova objetiva (veja no final desta notícia os conteúdos das provas dos dois últimos certames e perceba as diferenças);
  • Prova de redação;
  • Aferição da veracidade da autodeclaração prestada por candidatos (as) pretos (as) ou pardos (as); e
  • Procedimentos admissionais e perícia médica.

As provas objetiva e de redação têm, em geral, duração de cinco horas e, dependendo das necessidades de contratação do Banco, poderão ser aplicadas em cidades diferentes.

O critério básico de aprovação na prova objetiva é o seguinte: ter um aproveitamento mínimo 60% do total de pontos das provas objetivas, ou o mínimo de 55% do total de pontos nos Conhecimentos Básicos ou o mínimo de 60% do total de pontos nos Conhecimentos Específicos.

O prazo de validade da seleção externa, geralmente, é de um ano, a contar da publicação da homologação dos resultados finais, podendo ser prorrogado, conforme critério exclusivo do Banco do Brasil.

 

Resumo para as provas do Banco do Brasil: autorregulação bancária

autorregulação bancária é definida como um conjunto de normas criadas e utilizadas por Instituições Financeiras do Brasil para a promoção de uma melhor atuação no mercado para os seus consumidores e também a sociedade de modo geral. Ela contribui para que a instituição possa atuar com mais força e transparência perante a sociedade.

A autorregulação bancária foi criada no ano de 2008, mais precisamente no dia 28 de agosto daquele ano, quando foi aprovado o Código de Autorregulação Bancária. Esse código é composto por normas do Sistema de Autorregulação Bancária (SARB) e também os normativos que são alterados conforme o passar do tempo.

Segundo a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), a justificativa para a criação dessas normas foi justamente a promoção de uma melhoria contínua entre instituições financeiras, seus clientes e a sociedade em geral.

Elas cooperaram para que o sistema bancário pudesse ser muito mais saudável e transparente, gerando assim um aumento de confiança perante a sociedade.

Objetivo

O principal objetivo da autorregulação, desde o princípio, foi promover um compromisso mais firme e efetivo entre os sistemas bancários e a população.

Além disso, como falamos anteriormente, o aumento de confiança nessa relação e a demonstração de transparência por porte das instituições financeiras nacionais são objetivos, assim como também a promoção de melhores serviços.

Adesão

As Instituições Financeiras do Brasil podem fazer a adesão aoSARB de forma totalmente voluntária.

Quando uma empresa do sistema bancário adota a Autorregulação Bancária, passa a demonstrar que está disposta e se compromete a cumprir todos os normativos que constam do Código.

Manual de conduta – princípios do SARB

Todas as Instituições do Sistema Nacional Financeiro que adotam a Autorregulação Bancária devem ter como princípios: a ética e legalidade, respeito ao consumidor, comunicação eficiente e melhoria contínua.

Ética e Legalidade

O princípio de Ética e Legalidade consiste em adotar condutas que tragam benefícios à sociedade, ao meio ambiente e também ao mercado em que atuam.

Nesse princípio é essencial manter o respeito pelos concorrentes, respeitando também a liberdade de iniciativa.

Além disso, a legalidade nos lembra que o sistema bancário deve atuar de acordo com a legislação brasileira vigente e de acordo com as normas de autorregulação.

Respeito ao consumidor

Respeitar o consumidor é importante para estreitar os laços e gerar confiança por meio de um tratamento mais justo e transparente. A prestação de um serviço cortês é importante no respeito ao consumidor.

O respeito ao consumidor também remete a um atendimento que o ajude a avaliar os produtos e serviços mais adequados para o seu momento. Também dá possibilidade de um atendimento mais seguro, mantendo a confiabilidade de seus dados e também dando a concessão de crédito de modo responsável.

Comunicação Eficiente

comunicação Eficiente envolve um fornecimento e informações precisas, adequadas, claras e oportunas para o momento do consumidor, fazendo com que ele consiga criar autonomia para tomar as suas decisões de modo responsável.

Melhoria Contínua

Melhoria Contínua ajuda no aperfeiçoamento dos padrões de conduta, elevando assim a qualidade dos produtos e serviços prestados.

A melhoria contínua também eleva os níveis de segurança e eficiência dos serviços prestados pela instituição financeira.

Deixe um comentário